Quais as diferenças do óleo essencial para o sintético ?

Para começar, vamos compreender como é extraído o óleo essencial das plantas. Ele é extraído da folha, flor, casca, semente ou raiz da planta. Em sua superfície se encontra micro bolsas onde contém seu óleo essencial. E através do processo de extração, essas bolsas se rompem e libera o óleo essencial aromático. O processo de extração pode ser através: da destilação a vapor, prensagem, extração absoluta e extração com CO2.

O óleo sintético, apesar da boa fragrância, não possui benefícios terapêuticos. Geralmente podem conter óleos vegetais fixos, óleo mineral, solventes e agentes espessantes, o que adultera as propriedades originais e prejudica a qualidade.

Como reconhecer a qualidade de um óleo essencial ? Veja a credibilidade da empresa. Algumas marcas que recomendamos: Laszlo, Bioessencia, Terraflor, WNF, BySamia dentre outras. Outra análise importante é verificar a autenticidade do óleo essencial através do rótulo. Geralmente vem escrito o nome cientifico da planta e o quimiotipo (substancia de registro na Anvisa).

Em sua maioria, os óleos essenciais possuem um valor superior ao óleo sintético. Devido ao fato do processo de extração ser mais detalhado e por ser altamente concentrado em um vidrinho de 10 ml ou menos. Fato este que faz com que os óleos essenciais sejam muito fortes e precisam ser diluídos em óleo carreador vegetal.

Compre pouca quantidade de óleo essencial, pois eles estragam. Em geral a durabilidade é de 2 anos, podendo variar de uma planta para outra. Os óleos vegetais carreadores duram de 6 meses. Com exceção do óleo de jojoba que pode durar até 5 anos.

Lembre-se óleos essenciais agem tanto na origem como no sintoma do problema.

Leave a Comment

Advertência
O Botânico é resultado de pesquisas realizadas em diversos livros especializados e artigos científicos. Para mais informações veja nossas referências bibliográficas. Não nos responsabilizamos pelo mau uso das informações aqui contidas e não podemos dar garantias formais das atividades aqui propostas. Além disso, essas informações não substituem a consulta médica. Sendo esta imprescindível para o diagnóstico correto e acompanhamento do paciente. ATENÇÃO: Nunca use óleos essenciais diretamente na pele, sempre dilua e respeite as taxas de diluição. Consulte um aromaterapeuta para uma prescrição adequada a cada caso apresentado, visto que critérios individuais podem influenciar no tratamento com óleos essenciais.